domingo, 21 de dezembro de 2014

Ho-ho-ho

Todos cá em casa em grandes preparativos natalícios.
A trabalheira que dá é amplamente compensada pelo gozo que nos tem proporcionado.
O que nos temos rido, senhores!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Agora deu-me para isto

Em 2008 comecei a inchar.
Primeiro achei que tinha sido alergia a um rissol de camarão mas depois, quando os inchaços continuaram, percebi que o rissol já tinha sido digerido há muito e que não podia ser disso.
Inchou-me a barriga, um dedo, um pé, uma perna. Depois, tal como tinha aparecido o inchaço… desaparecia.
Nessa altura, assustei-me. Bom, é verdade que sou facilmente "assustável" porque sou hipocrondríaca e acho logo que é coisa que me vai matar em três tempos. Fui a vários médicos. Um dos quais do Curry Cabral que me fez um batalhão de exames e concluiu que eu estava sã que nem um pêro. Não era Zona, não era Gota, não era Lúpus, não era artrite reumatóide, não era nada.
De facto, passado um mês e tal a coisa passou. E eu fiquei sem saber o que raio tinha sido aquilo.

Pois bem, a coisa voltou quando estava grávida do Mateus. Falei nisso ao obstetra mas ele não valorizou. E eu pensei que se não me tinha matado há 6 anos também não havia de me matar agora. Fui-me coçando, desesperando aqui e além com um dedo do triplo do tamanho ou com comichões do demo nos pés ou nas mãos. Mas entretanto o Mateus nasceu e a coisa piorou muito. Tem sido verdadeiramente galopante. Aparecem-me babas gigantes nos pés e nas mãos e nos braços e nas pernas. Tenho uma comichão que me faz ter vontade de arrancar a pele. Fico horas a coçar-me, sobretudo durante a noite. Marquei uma consulta para um médico de Medicina Interna, mas ficou para o final de Janeiro. Até que me conseguiram uma consulta de urgência para hoje, nos Lusíadas, com um dermatologista muito bom. Ele olhou e traçou de imediato o diagnóstico. O que eu tenho é urticária crónica. A diferença entre a urticária aguda e a crónica é que a primeira dura no máximo 6 semanas e a outra ultrapassa esse tempo. E esta, com efeito, já dura há uns bons meses. E tem vindo a piorar. Boas notícias: não vou morrer disto. Más notícias: não tem cura e, em 80% dos casos nunca se descobre a causa. Ainda assim, o médico vai tentar descobrir o que provoca isto, através de análises (muitas vezes é tudo provocado pelo sistema nervoso). Se não for possível descobrir, o único remédio é ir tomando anti-histamínicos sempre que tiver um surto.
Do mal o menos: não é uma doença daquelas horríveis que me leve desta para melhor, deixando 4 criancinhas órfãs de mãe. E isso faz-me suportar qualquer incómodo.
O meu braço, a noite passada

Da paixão

Este sorriso imenso dizia tudo, ontem, sobre a paixão e a felicidade que iam nesta alminha.
Há muito, muito tempo que não via gente tão envolvida e entusiasmada com um trabalho. Infelizmente, o que tenho visto mais é malta sem qualquer pinga de vibração no que toca ao envolvimento profissional. E a Rita e a Iva tinham esse brilho no olhar. E, por arrasto, creio que todas as outras Marias Capazes.
Aqui estou eu e pequeno Mateus, no meio de Capazes.

Já foram à Maria Capaz? www.mariacapaz.pt

Mada no seu melhor

Estava deliciada com a atitude do Tim, uma entre muitas numa noite em que ele estava realmente um anjo. E por isso disse-lhe:
- És tão querido, Martim.
A Madalena virou a cabeça na minha direcção, com olhar de gato do Shrek:
- E eu??

Presentes UNICEF: um dois-em-um que vale mesmo a pena

Oferecer um presente de Natal UNICEF faz a verdadeira diferença na melhoria das condições de vida das crianças.
Querem um valor concreto, para perceberem bem o alcance disto?
Com apenas 45 euros, a UNICEF consegue fornecer 200 doses de vacinas contra o sarampo!
Com 170 euros, pode fornecer um kit escola com os materiais necessários a 40 crianças e um professor.

A colecção de cartões e produtos UNICEF é, por isso, muito especial. Além de ajudar crianças de todo o mundo, há por lá muita coisa gira para oferecer à mãe, ao pai, ao filho, ao amigo, tudo por preços apetecíveis.
Eu já tenho alguns favoritos. Estes, por exemplo:


Consultem o catálogo ou vão AQUI.
Efectuem as vossas compras online, escolhendo a forma de pagamento que preferirem.
Ou então vão aos locais de venda:

- Loja UNICEF – Lisboa
Av. António Augusto Aguiar, 38 A 1069-115 Lisboa

Centros comerciais:
- Cascais Shopping: de 19 de Novembro a 24 de Dezembro 
- Amoreiras Shopping Center: De 19 de Novembro a 23 de Dezembro 
- Colombo: de 20 de Novembro a 24 de Dezembro
- El Corte Inglés: De 20 de Novembro a 24 de Dezembro 
- IKEA Alfragide: De 21 de Novembro a 24 de Dezembro
- IKEA Loures: de 21 de Novembro a 24 de Dezembro 
- IKEA Matosinhos: de 13 de Novembro a 24 de Dezembro 
- Oeiras Parque: De 10 de Novembro a 24 de Dezembro 

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Martim, o sensível

A avó deu gomas aos 3. A Madalena comeu as suas. O Manel devorou as dele. O Martim deu uma das suas à Madalena e, quando ela foi pedir ao Manel se também lhe dava uma das suas gomas e percebeu que ele já tinha comido tudo, largou a chorar. Que ele nem lhe tinha guardado uma. Ele, coitado, repetia o óbvio: então mas se tu também tinhas as tuas, eu sabia lá que era suposto dar-te uma das minhas! E ela furiosa, a dizer que ele era uma lontra.
Daí a um bocado, o Martim aproveitou a ida da irmã à casa de banho para dar uma das suas gomas ao Manel. Eu, que tinha estado a ver tudo, fiquei sem perceber. O Manel agradeceu e preparava-se para a comer quando o Martim exclamou:
- Não é para ti!!! Dá à Mada!!! Diz que era uma das tuas, para ela ficar contente contigo!

❤️

Mateus non stop

Levei a Madalena à escola, com o Mateus.
Fui com o Martim ao Colombo, e o Mateus também foi.
Voltei a casa, engoli um iogurte, fui entregar presentes a uma empresa para a qual trabalho, com o Mateus.
Saí daí e fui a casa do meu pai e boadrasta, com o Mateus.
De lá, parti para o nascimento da Maria Capaz, na Galeria Baginski, com o Mateus.
A Maria Capaz é uma plataforma feminina e feminista, criada pela Rita Ferro Rodrigues e pela Iva Domingues, e na qual participo com textos sobre a culpa que as mães sentem e não deviam sentir (retirados e editados do meu livro A Culpa Não é Sempre da Mãe), e que vai ter entrevistas, crónicas, fotografias, e muitos trabalhos de outras áreas, sem qualquer limitação. Maria Elisa Domingues, Maria Rueff, Blaya, Isabel Moreira, Leonor Poeiras, Inês Castel-Branco, são apenas algumas das colaboradoras deste projecto. A Maria Capaz tem 80 madrinhas mas não deixou os homens de fora. Há um espaço para eles e José Diogo Quintela assina o primeiro texto, onde escreve sobre as mulheres. A Padaria Portuguesa é, até agora, o único patrocinador mas as Capazes esperam que surjam muitos mais, para que assim se possa criar um networking de mulheres com valor e que, em muitos casos, estão afastadas do mercado de trabalho.
A Rita e a Iva chispavam felicidade dos olhos. E é um prazer ver gente entregue a uma paixão assim.

P.S: Ah, e o Mateus dormiu toooooodo o santo dia.


Profissão: mãe

Eu: - Bom, a mãe tem de sair porque às 15.30 tem uma reunião.
Martim: - Na escola da Mada?
Eu: - Não.
Manel: - Na escola do Martim?
Martim: - Isso não pode ser porque foi ontem.
Manel: - Ah. Na minha escola?

Eis a prova de que estou há demasiado tempo em modo mãe.
Para esta gente se há uma reunião, só pode ser numa das escolas.
Aproveitem que está-se a acabar a exclusividade.

É hoje!



Passatempo "As Minhas Gémeas"

A querida Ana Marques (e a editora Guerra e Paz) têm 3 livros "As minhas gémeas" para oferecer, aqui no vosso Cocó. O livro conta a história da luta da Ana pela vida quando, grávida das suas miúdas, recebeu um diagnóstico assustador.
Para concorrerem a este passatempo só têm de preencher o mini-formulário aí em baixo. Têm até domingo às 23.59. Os vencedores serão escolhidos via Random.
Boa sorte!