sexta-feira, 24 de abril de 2015

Curso da Prevenção Rodoviária Portuguesa, módulo velocidade #2

Houve quem ficasse encravado no elevador, só para começo de conversa, ficando assim provado que talvez não devêssemos conduzir qualquer tipo de máquina.
A formadora perguntou se tínhamos reflectido sobre a aula anterior e houve um colega que me arrancou uma gargalhada:
- Olhe, por acaso ontem dei com um sinal que limitava a velocidade a 30km/h. E eu pensei: "Ora deixa cá experimentar!" (claramente, há sempre uma primeira vez para tudo na vida de cada um).
Também vimos filmes de sensibilização. Um deles, uma campanha da Volkswagen, era uma preciosidade de tão bem feito. Se calhar já conhecem, eu não conhecia e deixo-o aqui. Não é o indicado para nós, que fomos todos apanhados a pisar no acelerador, mas a verdade é que os telemóveis são, cada vez mais, os grandes causadores de verdadeiros flagelos nas estradas.



Quando saí, três horas mais tarde, fui devagarinho até ao destino. Nos limites de velocidade.
Talvez haja, afinal, alguém que esteja a ser recuperado pela PRP.
Eu gosto de chegar depressa, porque tenho sempre pressa, porque vivo depressa.
Mas gosto ainda mais de estar viva. E de não matar ninguém.


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Casa dos Sabores

A Iglo convidou-me a participar num vídeo de divulgação da Casa dos Sabores.
E o que é a Casa dos Sabores?
Imaginem que em vez de marcarem uma mesa para jantar podiam marcar uma casa inteira.
Pois bem, é isso mesmo que podem fazer, durante o mês de Maio. Uma mesa por noite em Lisboa, com um menu exclusivo, num sítio único, onde as verdadeiras estrelas são... quem quiserem convidar!
A Iglo oferece a casa equipada e recheada e o jantar, confeccionado pela anfitriã da casa, Isabel Queiroz.

Como podem ganhar esta noite? Candidatando-se em: www.casadossabores.pt.
Cada candidato poderá convidar até 11 pessoas para viver esta experiência única e limitada, indicando o seu tema preferido e as datas preferenciais para a realização do jantar. Entre os dias 7 e 30 de Maio, os vencedores seleccionados pela Iglo vão poder ter um jantar... em casa.

A Casa dos Sabores tem por objectivo celebrar os prazeres da mesa e todas as emoções que se vivem à volta de uma refeição. E eu juntei-me à Isabel Zibaia Rafael, do blogue Cinco Quartos de Laranja e à Ana Gomes, do blogue A Melhor Amiga da Barbie, e fomos pôr a mesa para vos receber!




Num desses jantares estarei eu e... quem se quiser juntar.
Será na sexta-feira, dia 15 de Maio!
Haverá por aí alguém que queira vir jantar comigo à Casa dos Sabores?
Em querendo, é enviar um email para sonia.morais.santos@gmail.com com uma frase divertida. Só posso levar 11 pessoas! Bora lá fazer uma grupeta gira.

Agora é que vai ser correr!


Estes Ultra Boost da Adidas são o último grito no que toca a ténis de running. Eu não percebo patavina do assunto mas diz quem sabe que isto é uma espécie de Ferrari dos ténis. Para já são leves como penas e, quando os calcei, achei-os tão confortáveis como umas meias fofas.
Os Ultra Boost têm na sua génese uma tecnologia desenvolvida pela NASA, de maneira que suspeito que agora deixe de correr e comece a voar.
Vou tentar estreá-los hoje, se bem que está difícil arranjar um bocadinho na agenda para isso. A ver vamos.

Vencedoras do passatempo "Até as princesas e os piratas fazem cocó"



As vencedoras destes livros muito úteis para a criançada que está a largar as fraldas são:

Princesas
Sandra Ferreira
Andreia Cunha
Adelaide Ferreira

Piratas
Ana Lameiras
Ana Quinta
Maria Ventura




A infância não se repete

A exposição do meu querido amigo Pau Storch sobre a infância e a prevenção dos maus-tratos na infância está, a partir de hoje, na Avenida da Índia, nos tapumes da futura Casa da América Latina.
Porque é mesmo verdade: "A infância não se repete".
Esta é uma iniciativa da Caminhos da Infância, para a qual contribuí, com muito gosto.
Pau Storch a levar-nos ao colo

O homem e a obra 





Mais babetes

Desta vez da colecção de Verão da Chicken Chicos. São mesmo giros.



Curso da Prevenção Rodoviária Portuguesa, módulo velocidade #1

Ora então começou terça-feira.
Esta vossa amiga teve de abandonar o lar às 19h para poder estar às 19.30 na Prevenção Rodoviária Portuguesa, onde tem de frequentar este curso se não quer ficar sem carta. Ou uma coisa, ou outra. Preferi esta e, assim, terei 12 horas de formação, repartidas por 4 dias.

Quando cheguei estava uma fila para entrar na sala. Malta cabisbaixa, de cara fechada, braços cruzados, a típica postura corporal que indicia contrariedade e, em alguns casos, também alguma culpabilidade. Em suma, estávamos chateados de ali estar. 8 homens, 3 mulheres (eu incluída).

A formadora apresentou-se mas levou algum tempo a quebrar o gelo. Quando nos mandou tirar 3 fotografias, de cima de uma mesa pejada de imagens, que nos retratassem enquanto pessoas, enquanto condutores e, por fim, uma que representasse as nossas expectativas em relação àquele curso, entreolhámo-nos com ar de gozo. A sério? Mesmo a sério?

Afinal a coisa acabou por se revelar interessante. Numa primeira ronda, cada um de nós, sentados em cadeiras voltadas umas para as outras, em círculo, fomo-nos apresentando, quais alcoólicos anónimos. Uma apresentação, na maior parte dos casos, curta e grossa, quase seca e antipática, de quem está mesmo muito lixado por estar ali. Havia professores, comerciais, empresários, estudantes e eu só imaginava cada um de nós a levantar-se e a dizer qualquer coisa como "Olá, eu sou a Clotilde e já não excedo a velocidade há 2 dias".

Numa segunda ronda descrevemos a nossa condução e contámos como foram as nossas multas, aquelas que nos levaram ali. Foi a parte mais longa e onde se quebrou, por fim, todo o gelo. A malta basicamente desabafou. Que as multas eram injustas (é como os presos, nunca estão presos porque merecem, é sempre porque foi uma injustiça), que os limites de velocidade naquela via são obscenos, que os agentes se escondem para nos caçar... enfim, todo o universo contra os pobres prevaricadores. E sim, eu também me queixei da Avenida Marechal Gomes da Costa, essa grande mula (que não tem outro nome), que me lixa sempre quando vou a subir  (porque a descer há o radar fixo e esse já não me apanha).

Por fim, falámos das nossas expectativas. Aparentemente, esperamos pouco. Ou começámos por esperar pouco mas, ao longo das 3 horas, fomos aumentando as expectativas.
Eu, para já, fiquei a saber que já morreram mais pessoas nas estradas do que a soma dos mortos de todas as guerras do mundo. Será possível?
Vamos ver o que me esperam as próximas sessões.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Um presente lindo!

Recebi este relógio, da One Watch Company, alusivo ao Dia da Mãe, e achei-o logo lindo. Muito verão, muito girly mas discreto, com o mostrador grande, mesmo como eu gosto. Pus logo e fui à minha vida (leia-se, fui ter uma aula de Padel).

Quando saí da aula de Padel, tirei-o porque me estava cheia de calor e foi então que me deparei com uma surpresa escondida!
Atrás, gravados, estavam os nomes dos meus filhos! 
Obrigada, One Watch Company! Adorei!

Nota: mensagens escritas no meio do caos dão asneira



World of Discoveries

Não conheço este Museu Interactivo mas recebi um email a dizer que faz 1 ano e que, este fim-de-semana, vai ter uma série de actividades muito giras para pais e filhos.
Quando fui ver o vídeo de promoção fiquei cheia de vontade de conhecer. Aliás, o meu primeiro pensamento foi: "caramba, isto é cá???"
E é. No Porto. Conhecem? É tão giro como parece?



World of Discoveries AQUI.