segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Trabalhar para aquecer? Prefiro uma lareira

Nunca foi tão ingrato trabalhar a recibos verdes como agora. A carga fiscal para quem é freelancer é de tal forma brutal que, às vezes, parece que trabalharmos apenas para aquecer. De resto, e por termos levado uma cacetada gigantesca no IRS, fomos consultar uma contabilista. Ela, depois de nos ter dado várias más notícias, acabou por dizer que, provavelmente, se fizéssemos bem as contas íamos concluir que mais valia que eu não trabalhasse, de todo. Assim, sendo o Ricardo o único a entregar a declaração, com 3 filhos a cargo e uma mulher que não produz, talvez o encaixe financeiro fosse maior do que andando eu a esfalfar-me para produzir. Juro que fiquei à beira de chorar.
Um país que promove a inércia é um país condenado. Digo eu.
Mais: agora vou ter um bebé mas não posso ter baixa. Eu até tinha direito a ela, coisa que há uns anos nem sequer acontecia. Verdade. Mas entre perder as avenças mensais que tenho (porque teria de as interromper durante o período da baixa) e ganhar aquele dinheiro que me é devido pela Segurança Social durante 4 ou 5 meses, prefiro esquecer a SS e continuar a trabalhar.
Às vezes sinto mesmo vontade de pegar na trouxa e ir pregar para outra freguesia. E isto sou eu, que tenho uma vida boa. Fará toda a gente que mal tem para comer. Raios partam isto.

Destralhar

Todo o fim-de-semana passado a lavar, a limpar, a desmontar e montar móveis, a retirar roupas dos armários, a organizar.
Devagarinho, esta casa começa a ter algumas semelhanças com uma casa e a deixar de ser um armazém.
Às vezes, ao encontrar tralhas que não uso vai para 10 anos e que insisto em guardar, penso que talvez seja uma daquelas acumuladoras do canal TLC.
Estou a exagerar, claro, mas isto tem sido um alívio tão grande que juro que parece que até respiro melhor.

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

E ainda...

 … Obrigada, Maria Concha, pelo tapa fraldas e body para o baby M.


E obrigada Algodão Pima, pela mantinha amorosa 100% algodão peruano.



IRS: Ide Reproduzir-vos Sócios

A ver a notícia de que o IRS vai beneficiar as famílias numerosas, o Manel virou-se para mim e disse:
- Boa, mãe! Podes continuar a ter filhos!

Hã????

http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=4186001

Digam-me, por favor, que hoje é 1 de Abril. Ou que o Dia das Mentiras transitou para 17 de Outubro. Ou que a TSF se enganou. Ou que o juiz estava só a reinar.
Então para uma mulher de 50 anos, com dois filhos, a vida sexual já não tem qualquer importância, é isso?
Deixa-me então aproveitar que o homem veio almoçar a casa para o encostar já ali a uma parede. É que vou fazer 41 anos e estou à beira de ter 4 filhos. Pela lógica deste magistrado, aos 45 já estarei morta para esse lado da vida.

Vocês estragam-me com mimos, é o que é

A Surpresas e Eventos enviou chocolates personalizados para a família cocó. Fofinhos.
Página de facebook AQUI

A Susana Santos Ferreira enviou-me o seu projecto, Blinka. Muito interessante. Um livro bilingue e 4 caixas de jogos também bilingues (B-Cards). A Madalena está rendida aos jogos e pede-nos a toda a hora para lhe mostrarmos as cartas com as imagens dos animais, das cores, das frutas e dos vegetais para que ela faça a gracinha de mostrar como já sabe tanta coisa. A Blinka promete continuar a crescer e eu acho que tem tudo para dar certo. Aqui fica a página para saberem mais: BLINKA.

A Lauroderme também enviou um carregamento para o baby M, esse grande mimado, e eu pude recordar os tempos em que punha Lauroderm no rabo da minha irmã (desculpa lá o mau jeito de falar do teu rabiosque por aqui mas a recordação foi mesmo inevitável).

Obrigada também à La Redoute, que no outro dia enviou um miminho logo de manhã: uma caixa bonita com uma caneca, chocolatinhos, e pacotes de chá com mensagens personalizadas para cada dia da semana, um bolinho e um coração.


Tostões e milhões

Vinha a sair das análises quando vi no chão uma moeda de 5 cêntimos. Ainda pensei não me dobrar para a apanhar (acreditem, a esta altura do campeonato dobrar-me até tocar com a mão no chão é uma tarefa similar a uma escalada) mas depois ouvi a voz da minha avó dentro da minha cabeça - "Quem não respeita o tostão não merece o milhão" - e, soltando um gemido sonoro, lá me verguei para a apanhar. Se há provérbio que respeito é este, caramba, respeito o tostão, sim senhora, e mereço muito o milhão!

(nisto de apanhar dinheiro do chão, porém, ninguém bate o meu filho Martim. Por duas vezes já encontrou 20 euros quando foi passear o cão)


quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Dia Mundial da Alimentação

A Madalena mudou de escola. Está no ensino público, tal como o Manel, que mudou o ano passado.
A transição não podia ter corrido melhor. A escola é nova, as salas são gigantes, cheias de luz, com montes de brincadeiras e jogos e computador e horta e baloiços. Há sempre actividades giras que envolvem a família. Hoje, Dia Mundial da Alimentação, os meninos levaram legumes e frutas. E, todos juntos, fizeram sopa e salada de fruta. Arregaçaram as mangas e meteram a mão na massa. No final, para assinalar a data, ainda fizeram um íman para colar no frigorífico. Ela não podia estar mais contente e nós também.


Quando acaba a escola, às 15.30, há o CAF (Complemento de Apoio à Família) que ocupa os miúdos até às 17.30. Pago 25 euros por mês e ela lancha, vê filmes, brinca, tem yoga e cerâmica. Podia ficar até às 19h (mas nós, graças ao facto de eu ser freelancer, prescindimos da extensão do horário).
Pela primeira vez sinto que os meus impostos (tantos impostos) servem para alguma coisa que se vê. Uma pena que o Ministério da Educação seja o que leva o maior corte no Orçamento de Estado para o próximo ano.  Um país que não investe na educação será sempre um pobre país. Enquanto o pau vai e vem vou aproveitando as maravilhas do ensino público, que me tem surpreendido pela positiva, quer com a Madalena quer com o Manel (excepção, está claro, para o facto de haver um ministro que permite que haja ainda milhares de alunos sem professores, inclusive o Manel que continua sem Físico-Química). Confesso que tinha algum preconceito e hoje sinto que, como sempre, o preconceito é algo que devemos evitar a todo o custo.

Merceditas

Um clássico.
Trouxe estas e estou à espera que cheguem as azuis escuras.
Comprei na Myu Baby, no Parque das Nações.



Por aqui também há Baby Shower de Baby M

Ou pensavam que ia descurar um momento desses???