sexta-feira, 3 de Setembro de 2010

Casa Pia 3

Não estou dentro do processo. Não sei, não li o processo, não vi. Tenho muita dificuldade em fazer julgamentos fora do julgamento. Quero acreditar na Justiça mas ela também já me decepcionou várias vezes. Agora, uma coisa é certa: estou muito surpreendida por ter havido condenações. Achei que ia passar tudo incólume. Achei que íamos todos dizer: claro, ficaram todos impunes, estava-se mesmo a ver.
Creio que o facto de ter havido condenações dá conforto (o possível) às vítimas e a nós, sociedade. Resta saber que outros nomes, grandes nomes, ficaram de fora. Que outros homens, com altos cargos, continuarão por aí, a abusar de crianças.

24 comentários :

Anónimo disse...

Também penso nisso, que outros haverá por aí.

rita disse...

Mas também temos que pensar que há a possibilidade destes adultos (ou alguns, ou um apenas) não terem cometido crime nenhum. Porque, infelizmente, algumas destas crianças carenciadas, também dizem o que seja, a troco de presentes. E isso também me faz pensar... Também eu, brinquei muito com a bota botilde...

Marianne disse...

Eu sempre achei que iam ser todos condenados, quanto mais não fosse para calar a opinião pública... e a pergunta que me faço é... serão eles todos culpados de tudo?

quica disse...

Também não tenho por hábito julgar aquilo que não conheço. Neste caso acredito a 100% na decisão, apenas tenho muita pena que seja tão pouco. Há que pensar "e se fossem os nossos filhos?" 6 ou 7 anos de pena efectiva bastariam? Lamento que muita gente por aí ainda tenham pena do (ia dizer sr mas não me parece adequado) Carlos Cruz. Eu olho para aquela fronha e as únicas pessoas de que tenho pena é dos filhos dele

Anónimo disse...

E falta saber se eram todos culpados. Até vir o processo para fora não vou atribuir culpas. Precisamos de factos mais do que de condenações. As vítimas merecem a justiça, claro. Mas os arguidos também merecem ser julgados de forma correcta e não para servirem de exemplo. Não estou a confirmar nada apenas a dizer que quero ver os factos.

Vera disse...

Pois...é o que eu penso também.
Sempre achei que isto tudo só ia resultar em condenação para o Bibi.
Estou a ouvir a Conferência de Imprensa do Carlos Cruz. Estou confusa...

Vera disse...

Pois...é o que eu penso também.
Sempre achei que isto tudo só ia resultar em condenação para o Bibi.
Estou a ouvir a Conferência de Imprensa do Carlos Cruz. Estou confusa...

Maria_S disse...

Onde estão??? Ah pois.

Jorge Freitas Soares disse...

Sónia, também eu estou surpreendido com este desfecho, estava fortemente convencido que a montanha iria parir um rato e que para além do Bibi mais ninguém iria ser condenado.

Felizmente ficou demonstrado que ainda é possível acreditar que é possível fazer justiça em Portugal.

Quanto a esta frase:
"Resta saber que outros nomes, grandes nomes, ficaram de fora. Que outros homens, com altos cargos, continuarão por aí, a abusar de crianças." Soa-me ao discurso dos réus que a utilizaram muitas vezes em forma de aviso, "se eu for condenado vou levar comigo muitos mais"

Não é de certeza a forma certa de abordar este assunto, e muito menos quando é uma jornalista quem o diz, a Sónia acha que há mais nomes a condenar?, que há mais pessoas importantes metidas no assunto?, muito mais que todos nós tem as ferramentas para lutar para que essas pessoas sejam levadas à justiça. Use-as.

Desculpe o abuso de confiança,

Jorge Soares

Joana disse...

Li os seus três posts e concordo, concordo, concordo com tudo!
Eu não cresci a ver o bota botilde, sinceramente, nem sei bem do que se tratava, mas em criança vi muitos programas onde Carlos Cruz era o apresentador. Dá nojo sequer pensar na ideia dele a abusar de crianças. Nojo! Que mente doentia será capaz disso? É horrível, horrível!

E quanto aos adultos ouvirem as queixas das crianças com outros ouvidos: sinceramente, acho que devemos sempre ouvir as crianças. Elas não mentem, porque não sabem mentir. Podem por vezes inventar coisas, faz parte da imaginação fértil delas, mas em situações destas, não se pode duvidar da palavra delas. Elas não inventam assuntos que normalmente só tocam aos adultos.

E também estou muito surpreendida que estes monstros tenham sido condenados. Até o meu pai ao almoço me tinha dito, "Cá para mim vai tudo com pena suspensa." e eu concordei, é o costume neste país, ou pena suspensa, ou cumprem meia pena e estão fora.
Mas nestes casos? Nestes casos NÃO há perdão. Faça-se justiça neste país!

Anónimo disse...

Sabe o que me espanta... como é que alguém que foi condenado a 7 anos de prisão aparece no jornal da noite em directo??? Sempre pensei que as penas de prisão fossem cumpridas imediatamente. Estas pessoas podem andar assim à solta depois de terem sido condenados?? Não percebo mesmo.

Carla Marialva disse...

Pois é msm isso, porque para estes estarem a pagar é prq muitos ficaram trás, mas acredito piamente que qie estes fizeram tudo oq ficou provado e muuuuuito mais!
Ou achas que tantas crianças, que hoje são adultos, inventariam tudo com detalhes durante oito anos a fio?
Eu gostaria que isso não fosse verdade, mas é , triste mas é!

efilipe disse...

Eu também tinha pensado que ia ser difícil haver condenações. Afinal houve, apesar de ainda não estar ninguém preso, o que me custa a perceber. Mas deve ser um certo alívio para as vítimas e para quem os apoia.

Natércia Picanço disse...

Se houve condenações é porque são culpados!Também eu pensei que ia ficar tudo em "águas de bacalhau"e que o unico a sair escaldado era o bibi!Mas afinal enganei-me,e ainda bem.Os meus filhos já são crescidos,não temo por eles,mas temo por outras crianças que não se sabem defender,e que infelizmente sofrem ás mãos de predadores como estes.....Lobos em pele de cordeiro!!!

Carochinha disse...

Já comentei no blog da Pipoca mas deixo aqui um outro comentário.

Hoje de manhã no Bom dia Portugal ouvi o Adelino Granja dizer que a 1a queixa feita pelo Joel sobre o Carlos Silvino às autoridades foi em 2001 e o caso só avançou quase dois anos depois. Ele perguntava-se o que teria acontecido nesses dois anos entre 2001 e final de 2002 quando se prendeu o Carlos silvino e se começou tudo a desenrolar - em que nada se fez. Eu pergunto o mesmo. Disse também que já nos anos 80 ele e o Pedro Namora tinham alertado o Ramalho Eanes para o que se estava a passar na Casa Pia (na altura não se falava em pedofilia, dizia ele, mas em atentado ao pudor). Só 20 anos depois, com a queixa do Joel as autoridades começaram a actuar, tarde e a más horas pelos vistos.

Se o Adelino Granja fala verdade - sim, porque eu já questiono tudo - nesses dois anos teria havido muito tempo para muitos abusadores se "porem a monte", sabendo que a bomba ia explodir! Dois anos para averiguar abusos sexuais numa instituição estatal é inadmissível e vergonhoso, já para não falar nas duas décadas em que, pelos vistos, tudo se sabia e se falava mas não era publicado e as autoridades não actuavam, assim como quem tinha responsabilidade na Casa Pia, tutores, provedores, etc!

(E eu ainda não vi NENHUM jornalista a questionar isto, estão concentrados apenas no presente, mas julgo que era útil para todos nós sabermos o que se passou antes, como chegamos até aqui)

A justiça é falível e, portanto, quem é hoje acusado pode, de facto, ser inocente. Há inúmeros casos desses. Por isso é que há recursos, possibilidade de as provas serem reavaliadas por outros juízes. Em Portugal, uma justiça lenta como esta não serve nem acusados nem acusadores, eu não sinto que se faça justiça.

Eu que ainda não tenho 30 anos sinto-me muito desiludida com o país em que vivemos. Felizmente sente-se cada vez menos, mas ainda demasiado, que vivemos envoltos em compadrios, em interesses ocultos, reféns de tribunais morosos, complicados, que favorecem quem tem mais recursos.

Espero que daqui a 20 anos possamos estar num outro patamar, mais humano.

Carochinha disse...

Já comentei no blog da Pipoca mas deixo aqui um outro comentário.

Hoje de manhã no Bom dia Portugal ouvi o Adelino Granja dizer que a 1a queixa feita pelo Joel sobre o Carlos Silvino às autoridades foi em 2001 e o caso só avançou quase dois anos depois. Ele perguntava-se o que teria acontecido nesses dois anos entre 2001 e final de 2002 quando se prendeu o Carlos silvino e se começou tudo a desenrolar - em que nada se fez. Eu pergunto o mesmo. Disse também que já nos anos 80 ele e o Pedro Namora tinham alertado o Ramalho Eanes para o que se estava a passar na Casa Pia (na altura não se falava em pedofilia, dizia ele, mas em atentado ao pudor). Só 20 anos depois, com a queixa do Joel as autoridades começaram a actuar, tarde e a más horas pelos vistos.

Se o Adelino Granja fala verdade - sim, porque eu já questiono tudo - nesses dois anos teria havido muito tempo para muitos abusadores se "porem a monte", sabendo que a bomba ia explodir! Dois anos para averiguar abusos sexuais numa instituição estatal é inadmissível e vergonhoso, já para não falar nas duas décadas em que, pelos vistos, tudo se sabia e se falava mas não era publicado e as autoridades não actuavam, assim como quem tinha responsabilidade na Casa Pia, tutores, provedores, etc!

(E eu ainda não vi NENHUM jornalista a questionar isto, estão concentrados apenas no presente, mas julgo que era útil para todos nós sabermos o que se passou antes, como chegamos até aqui)

A justiça é falível e, portanto, quem é hoje acusado pode, de facto, ser inocente. Há inúmeros casos desses. Por isso é que há recursos, possibilidade de as provas serem reavaliadas por outros juízes. Em Portugal, uma justiça lenta como esta não serve nem acusados nem acusadores, eu não sinto que se faça justiça.

Eu que ainda não tenho 30 anos sinto-me muito desiludida com o país em que vivemos. Felizmente sente-se cada vez menos, mas ainda demasiado, que vivemos envoltos em compadrios, em interesses ocultos, reféns de tribunais morosos, complicados, que favorecem quem tem mais recursos.

Espero que daqui a 20 anos possamos estar num outro patamar, mais humano.

Carochinha disse...

Já comentei no blog da Pipoca mas deixo aqui um outro comentário.

Hoje de manhã no Bom dia Portugal ouvi o Adelino Granja dizer que a 1a queixa feita pelo Joel sobre o Carlos Silvino às autoridades foi em 2001 e o caso só avançou quase dois anos depois. Ele perguntava-se o que teria acontecido nesses dois anos entre 2001 e final de 2002 quando se prendeu o Carlos silvino e se começou tudo a desenrolar - em que nada se fez. Eu pergunto o mesmo. Disse também que já nos anos 80 ele e o Pedro Namora tinham alertado o Ramalho Eanes para o que se estava a passar na Casa Pia (na altura não se falava em pedofilia, dizia ele, mas em atentado ao pudor). Só 20 anos depois, com a queixa do Joel as autoridades começaram a actuar, tarde e a más horas pelos vistos.

Se o Adelino Granja fala verdade - sim, porque eu já questiono tudo - nesses dois anos teria havido muito tempo para muitos abusadores se "porem a monte", sabendo que a bomba ia explodir! Dois anos para averiguar abusos sexuais numa instituição estatal é inadmissível e vergonhoso, já para não falar nas duas décadas em que, pelos vistos, tudo se sabia e se falava mas não era publicado e as autoridades não actuavam, assim como quem tinha responsabilidade na Casa Pia, tutores, provedores, etc!

(E eu ainda não vi NENHUM jornalista a questionar isto, estão concentrados apenas no presente, mas julgo que era útil para todos nós sabermos o que se passou antes, como chegamos até aqui)

A justiça é falível e, portanto, quem é hoje acusado pode, de facto, ser inocente. Há inúmeros casos desses. Por isso é que há recursos, possibilidade de as provas serem reavaliadas por outros juízes. Em Portugal, uma justiça lenta como esta não serve nem acusados nem acusadores, eu não sinto que se faça justiça.

Eu que ainda não tenho 30 anos sinto-me muito desiludida com o país em que vivemos. Felizmente sente-se cada vez menos, mas ainda demasiado, que vivemos envoltos em compadrios, em interesses ocultos, reféns de tribunais morosos, complicados, que favorecem quem tem mais recursos.

Espero que daqui a 20 anos possamos estar num outro patamar, mais humano.

Ana C. disse...

Sim, realmente houve muitas condenações, mas depois foi ver os condenados a darem conferências de imprensa, entrevistas televisivas, enfim, um fartote. Ou seja, na prática, daqui até ao Supremo, vai prescrever tudo, podes ter a certezinha disso.

Carochinha disse...

Queria fazer valer a minha opinião mas não com tanta "força"! Desculpa mas deve ter-se passado alguma coisa para isto copiar três vezes a mesma coisa! Sorry!

Anónimo disse...

Incrivel é haver quem não goste de condenar sem factos mas as mesmas defendem suspeitos sem provas só pk sao figuras publicas..
eu n tenho a menor duvida ke sao culpados..pk as crianças n mentem nestas coisas..e se alguem acredita nisso tenho é pena dos filhos dessas pessoas.

Arroz Xau Xau disse...

Oh Cocó sabes, eu também fico muito contente que tenham sido deliberadas estas penas. Apesar, de, tal como tu, achar que há muita gentinha de fora.
Quanto ao Carlos Cruz... nenhum juiz no seu perfeito juizo, que tenha amor à sua carreira e à sua vida privada, alguma dia deliberaria prisão preventiva, e depois, esta pena se não tivesse motivos MUITO fortes para o fazer. Não é por mais nada, é porque o Carlos Cruz é uma figura pública e o caso foi, e ainda o é, altamente mediático. Nenhum juiz seria burro a ponto de pôr a sua carreira em risco por alguma coisa que ele não tivesse mais que comprovado.

Anónimo disse...

Será que alguém me pode responder se sabe alguma coisa sobre o assistente do Carlos Cruz - CARLOS MOTA????? Se bem me lembro, assim que o escandalo rebentou, andava tudo atrás dele e de outros e ele sumiu-se e ninguém mais falou disso! Alguém sabe o que lhe "aconteceu"? porque desapareceu??? é uma questão que gostaria de ver esclarecida. poderá traduzir mais alguma coisa, não??

Obrigada

isabel victor disse...

Essa é a grande incógnita !

O espectro ...

(partilho esta visão)


;)

iv

Anónimo disse...

Natércinha é bom encontrar-te por aqui. Então e os nossos encontros e desencontros? E a nossa Madalena ? e o nosso ter de fazer jogo um bocadinho duplo. Mas amiga chamámos sempre os bois pelos nomes. E a Lurdes beata que a Madalena teimou em elevá-la? Finalmente encontrasmo-nos em terreno desconhecido, porque o Blogue está morto e a miúda está bem entregue
Luisa/Catarina