terça-feira, 28 de Janeiro de 2014

A dor mais funda é esta

Já falei com a Filomena uma vez. E marcou-me até à carne, até aos ossos, até ao mais fundo de mim. A dor dela é, quanto a mim, a maior das dores. Não há pior. Não, nem a morte. Porque a morte é uma dor que se chora num sítio, é uma dor por um fim. Esta é uma dor pelo desconhecido. Por não saber se houve fim ou se todos os dias são de sofrimento, se todos os dias são, de novo, um fim. Esta é a dor mais funda.
E esta é a história mais triste que já conheci.
O Rui Pedro faz hoje 27 anos.

18 comentários:

homem sem blogue disse...

Arrepia ouvir a senhora a falar. Ainda no outro dia, quando via uma reportagem sobre o tema, dizia que não deve existir uma dor mais profunda do que a de um pai que não sabe o que é feito do filho. Como dizes, na morte, sabe-se o que aconteceu. É uma dor diferente. Aqui, é um mar de dúvidas sem fim que atormenta e muda a vida de qualquer pessoa.

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Sofiazinha disse...

Sem dúvida Sónia, esta é uma dor inexplicável. Também eu sinto um aperto com a história do Rui Pedro.Esta mãe....esta mãe é uma MÃE.

Verita disse...

E eu queria tanto ter um poder qualquer para dar uma resposta a esta mãe. A dor dela trespassa-nos a alma.

Letrinhas disse...

Que aperto no coração. Toda a sorte do mundo para esta mãe.

Luna disse...

ESpero que algum dia a resposta dela venha, seja qual for, grande mulher não merecia passar este inferno!bjos

Isa disse...

Eu não sou mãe e portanto nem sei...
Só consigo comparar isto àquela dor que se sente quando estamos no supermercado à compras e de repente olhamos e já não vemos a nossa criança e o coração cai...agora isto durante 16 anos...fuuuuu

Mas aproveito para dizer que agora na era da tecnologia e das redes sociais acho que há pouca movimentação de informação à procura do Rui Pedro.
Eu pelo menos nunca vi nada no FB sobre isto...

Patrícia disse...

Sou uma mãe que perdeu uma filha...sei bem a dor dessa perda, no entanto, concordo contigo, a dor desta mãe e inigualável! O sofrimento desta mãe não se compara a mais nada! Espero que um dia está senhora encontre o seu sossego de algum modo, porque viver nesta dúvida deve ser atroz! Que deus acompanhe esta mãe, pai e toda a família e que algum dia lhes de sossego!

Sandra Oliveira disse...

Sem palavras...
Nem é bom pensar...
Muita força para esta mãe...

Alexandra de Amorim disse...

Acho que já somos todos um bocadinho pais e mães do Rui Pedro...

A dor da Filomena é marcante e é por causa dessa dor (que não a deixou desistir) que tantos anos depois ainda se fala do Rui Pedro.

Carla disse...

É mesmo Sónia. A dor da morte é devastadora, intemporal mas a dor do não saber o que aconteceu... se está vivo, se está morto, se sofre, se sofreu, se, se, se... essa dor deve ser realmente a maior de todas as dores... sem fim à vista...

Caco disse...

Nem sequer consigo imaginar a dor desta mãe. Um depoimento absolutamente arrasador. É impossível não sofrermos todos com esta história. Espero que um dia venha a ter um final feliz.

Maria Virgínia Machado disse...

Querida Sónia,
Concordo em absoluto com o que diz. E também com o que diz a Patricia que infelizmente perdeu uma filha. Não pode haver dor maior que esta. Enquanto Patricia fez o seu luto e nunca esquecerá a filha, sabe o que aconteceu, onde está e isso ajuda ao luto. Esta mãe não sabe nada e vive assim sabe Deus até quando.
A nós compete-nos divulgar o mais possível, e para fora de Portugal se possível. Deus ajude ambas, Patricia e a mãe do Rui Pedro.

Maria Virgínia Machado disse...

Querida Sónia,
Concordo em absoluto com o que diz. E também com o que diz a Patricia que infelizmente perdeu uma filha. Não pode haver dor maior que esta. Enquanto Patricia fez o seu luto e nunca esquecerá a filha, sabe o que aconteceu, onde está e isso ajuda ao luto. Esta mãe não sabe nada e vive assim sabe Deus até quando.
A nós compete-nos divulgar o mais possível, e para fora de Portugal se possível. Deus ajude ambas, Patricia e a mãe do Rui Pedro.

Teresa Pires disse...

Que murro no estômago.

Teresa Pires disse...

Que murro no estômago.

Ana Couceiro disse...

Esta história marca cada um de nós.. Marca Portugal :(

Scarlet Red disse...

Não sou mãe, mas cada vez que vejo esta mulher fico em pele de galinha :(

Diana Mora Moraes disse...

é mesmo arrepiante...
vou partilhar...