quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

Eu versus eu ou a bipolaridade de uma anafada

Ora então vamos lá ver se me compreendem:
Sim, eu já fiz montes de dietas. Tantas, mas tantas que nem têm conta. Lembro-me de ser miudinha, de andar na natação de competição e de desmaiar no autocarro porque ainda só tinha comido uma maçã. Fiz a dieta da sopa, a dieta da cebola, a dieta do sumo de limão com beringela, a dieta da seiva. A dieta dos 31 dias. A dieta dos 2 dias. Fui ao Póvoas (fiquei tão magrinha, tão magrinha, mas tão acelerada como um esquilo que tivesse cheirado coca), fui ao Tallon. Fiz a dieta LEV. Fui ao Choy. Já estive inscrita em tantos ginásios que pareço uma benfeitora, a tentar salvá-los a todos: o Craque, o Super Craque, o Mega Craque, o Clube VII, o Holmes Place, o Solinca, o Club House, e outros que seguramente agora não me estou a recordar. Já fiz ginástica, já andei de bicicleta, já fiz aulas de grupo. Andei no Bootcamp. E meti-me no running.

Nunca fui obesa. Nem gorda-gorda, assim propriamente, daquelas pessoas que as outras descrevem como "não estás a ver? A Sónia, aquela… a gorda…" Acho que não. Acho que nunca fui "a gorda". Mas sempre fui anafadinha. Cheiinha. Mesmo em criança, digamos que havia uma propensão para um pneuzinho sempre ali a querer insuflar. E eu nunca gostei dele. E sempre o combati, com as armas que fui tendo à mão. Umas mais agressivas (e idiotas), outras mais soft (e lentaaaaaaszzzzzzz).

Posto isto… dizer que, desde que tenho o blogue, vocês aí desse lado já foram comendo com alguns destes números. E poderão dizer que há, na minha vida, uma linha que separa a cheiinha que gosta de comer e beber e que prefere (de longe) alapar o traseiro no sofá a movimentá-lo, da outra, que se mete a comer verdes, que corre 10 km três vezes por semana e que até consegue perder uns quilos (nunca por muito tempo). E têm toda razão. A minha vida tem sido, na verdade, isso mesmo. Um frenético oscilar entre períodos de contenção alimentar (ou mesmo fominha negra) e desregramento total, entre actividade física (por vezes intensa) e ociosidade (por vezes também intensa).

Porquê? Meus filhos, simplesmente porque a genética não é a minha melhor amiga e não me deixa comer e beber à vontadinha mantendo uma cintura de vespa. Não. A minha cintura tende a ser de um enxame inteiro mesmo quando nem abuso assim tanto. Acontece que eu gosto mesmo de abusar. E nem sequer é dos doces. É mesmo de uma boa açorda, uma feijoada, um fondue com todos os seus molhos, uma picanha com feijão e farofa. E não é beliscar um pouquinho, não é dar uma garfada e dizer que estou satisfeita, como é suposto que façam as senhoras dignas desse nome. Lastimo imensíssimo, mas eu aprecio comer e repetir e ainda ficar de olho no que sobrou (grande besta). E gosto de beber. Vinho tinto, branco, verde ou rosé (com grande destaque para o tinto e, no verão, para o rosé). Caipinhas, caipiroscas, mojitos, sangrias, champanhes, cerveja (não sou muito esquisita, só não me dêem whisky).

E perguntam vocês (no caso de ainda aí estarem, que a prosa já vai longa): em que fase te encontras tu, neste momento? Em dieta? Ou a alarvar? E em que tipo de cena maluca andas metida agora? Já rastejaste na lama com os fuzileiros (gostei tanto…), já espetaste agulhas no bucho… e agora? Qual é a tua cena agora?
Eu respondo, que não quero que vos falte nada.
Nos últimos meses do ano passado, foi um fartar vilanagem. Primeiro foi o Verão e a desculpa de que era o Verão, depois foi o Outono e a desculpa de que era o Outono, depois o Natal e a desculpa de que era o Natal. Conclusão? Uma miséria. Só não fiquei à beira da banda gástrica porque a partir de Setembro comecei a correr. Mas não emagreci, apesar de ter começado a correr bastante (até uma meia-maratona fiz), simplesmente porque continuei a comer sem cuidados.

Até que a Catarina fez um post qualquer em que mostrava o seu admirável mundo novo. E o seu admirável mundo novo era ela, ainda mais gira do que antes, magra como nunca, e com um sorriso de felicidade incrível. E eu, como qualquer anafado, quis saber o segredo. Sim, porque nós, os anafados, achamos sempre que quem emagrece tem O segredo. É como se quem emagrece tivesse descoberto a fórmula mágica que vai, finalmente, mudar a nossa vida, rapidamente e sem esforço.
A Catarina não tinha a poção. Mas tinha a força de vontade e… o Pedro. Tentei convencer-me de que também teria a força de vontade (já a tive tantas vezes) e pedi o contacto do Pedro.

Passei, então, a ter um PT.
O Pedro vem a minha casa uma vez por semana (não consigo pagar mais do que isso) e põe-me a mexer. Da primeira vez, avaliou-me. Pesou o animal, mediu as pregas (juro) com uma espécie de tenaz com centímetros. Foi triste. Ter um homem a pegar-nos nas banhas das ilíacas, da barriga e dos braços, a medi-las e a apontá-las num caderninho é um momento pouco glamoroso. Mas útil, garanto.
A minha mãe olhou para mim com aquele ar de enfado, de quem diz "pffff, mais uma invenção". O Ricardo é capaz de ter feito o mesmo, mas disfarça muito bem e faz sempre um ar interessado e convencido da minha determinação (o seu instinto de sobrevivência é feroz).

Passou um mês desde que "tenho o Pedro da Catarina". Ela tinha razão: ele é fantástico. Treino em casa ou saímos para a rua. Traz cordas, traz elásticos, traz o TRX, traz bolas de 3 kg, traz uma vara (da última vez pensei que a trazia para me dar com ela). É muito profissional e super simpático e muito querido. A vantagem? Bom, há muitas. A primeira de todas é a óbvia: ter um PT que vai a casa impede-nos de dizer: "Ah, hoje não me apetece ir…". Não temos de ir a parte nenhuma - ele aparece, toca à campainha, é só abrir. Claro que posso sempre não abrir, fazer-me de morta, assobiar para o ar e deixar o Pedro na rua… mas ainda nunca me apeteceu fazê-lo (e mesmo que apetecesse, jamais teria coragem). A segunda grande vantagem é que estou em casa. Na minha casa, no meu espaço. Quando ele se vai embora, vou logo para a banheira, daí a nada já estou a trabalhar, estou no meu ninho. A terceira vantagem é que ele está ali só para mim. Não há batota. Não posso parar um exercício a meio por ele estar distraído a olhar para outra coleguinha de esforço. Não há ali mais ninguém. Sou eu… e ele. Ou seja: sem fuga possível. Custa, mas é mais eficaz.

Passou um mês desde que voltei à alimentação cuidada. Não tenho passado fome - nem um pouco. Já fiz uma asneira (no aniversário do Martim, em que comi hidratos de carbono e bebi vinho), mas de resto tenho sido uma linda menina, e sem esforço.
O Pedro vem uma vez por semana mas marca-me mais dois exercícios para essa semana, que tenho de cumprir.
Ontem, veio pesar-me e medir-me (de novo a humilhante tenaz, credo). Tinha perdido pouco peso (1,300 kg - QUE ÓDIO!) mas 5% da massa gorda foi-se. 1,5 cm no perímetro abdominal, e 1 cm no perímetro da sacro-ilíaca. É muito irritante perder pouco peso mas ele tranquiliza-me e diz que pode acontecer e que o importante é vermos a massa gorda a ir à sua vida. E perder em centímetros tem de contar alguma coisa, até porque não andamos com o peso escrito na testa, mas as calças folgadas já fazem a sua diferença visual.

Não sei se vou ficar como a Catarina, até porque reconheço ali uma determinação que não creio encontrar em mim. Não sou assim tão louca por bagas e por sementes e não vibro assim tanto com as corridas como ela passou a vibrar. Mesmo quando corro 3 vezes por semana, o bichinho da corrida nunca se me agarrou às pernas como as lêndeas se agarram aos cabelos. Nah. Gosto de correr, sim, quando começo reconheço ali uma certa adrenalina e felicidade, mas é sempre quando termino e nunca quando começo. Saio de casa sempre zangada e a rosnar, e só sorrio quando já estou a voltar para casa. Já não é mau. Mas não é a mesma coisa que quem sai aos pulinhos, com a simples antevisão da corrida.
Por outro lado, tenho uma vida social completamente tresloucada. Não há semana nenhuma em que não jante com amigos e os meus amigos (TODOS) são gente da boa mesa, do bom vinho, e eu não tenho assim tanta vocação para me privar daquilo de que gosto muito, nem estou a prever que deixe de amar um bom bife com batatas fritas.

Isto para dizer o seguinte: estou empenhada - que estou. Estou a ver resultados - que estou. Sinto-me melhor - que sinto. Estou mais saudável - e de que maneira. Mas não quero levantar muitas ondas com isto e dizer que agora é que é, que agora é que vi a luz, que vou ficar a Gisele Bundchen, aleluia!
Vamos com calma. Um anafado é uma pessoa com altos e baixos na sua anafadice. Mais ou menos como um toxicodependente. Que deixa o vício, que recai, que volta a tentar. Há quem deixe uma vez para sempre. Há quem demore mais a livrar-se do mal. E o pior é que, no caso do toxicodependente, a droga não está assim à mão de semear. Já o gordo… está rodeado de comida por todos os lados, tipo náufrago.

Vamos ver como corre.
Quero agradecer à Catarina, que foi uma querida e é uma inspiração (mesmo que não me renda em absoluto ao leite de espelta e às chias e às gojis e à corrida desenfreada faça chuva ou faça sol).
E ao Pedro, que julgo poder vir a acompanhar-me por muitos e bons anos (porque mesmo que fique magrinha, terei sempre que contrariar a inércia e a nojenta da gravidade).

(ainda aí estão? Eh valentes!)

42 comentários :

amora disse...

sim, li tudo! e revejo-me. tb estou a tentar combater o exagero :))

Maria João Barbeitos disse...

Fiquei até ao fim porque me revejo em tanto dessas palavras. Mas mesmo assim, sem metade da tua determinação e infelizmente no grupo da obesidade! Mas é bom ler estas coisas... a loucura das "gordinhas" é generalizada... ufa!!!!

Ana Nascimento disse...

também sempre fui anafadinha, desde que nasci.. houve ali um ou dois anos que nem reconheço as minhas fotos, devia ter 4/5 anos, e estava normal! :) de resto, o peso sempre foi acima do normal, mas nada de obesidade. o máximo que já pesei (que saiba) foram 70 kgs qdo tinha praí uns 15 anos (tenho 1.64m), e jurei que nunca mais. não sou amante ou viciada em comida, mas casei com um homem que é, o que não ajuda!!! detesto álcool (que sorte!), e consigo bem controlar as porções. a minha dor de cabeça sempre foi o tipo de coisa que gosto de comer. não é chocolates, nem bolos nem doces.. é pão, massas e arroz. uma eventual cerelac, pratos como rancho ou feijoada, e um gosto muito diminuto por verduras.. na minha cabeça, se nao comer hidratos de carbono à refeição vou ficar esganada! :) ah, e as vontades de comer são sempre à noite, no sofá, no relax.. tenho mudado a minha alimentação devagarinho, tentando adaptar o meu perfil àquilo que sei que não me faz bem , e em adulta o mínimo que já pesei foi 59 kg, quando andava com problemas de estômago e comia só para sobreviver (tudo sem gordura, sem açucar, sem sabor, um tédio!!). o meu corpo gosta muito dos 65kg, é onde ele se sente confortável, saciado e contente :) e eu já me habituei ao pneuzinho, e acho que sou mais feliz assim do que a fazer mil dietas e tentativas que depois só trazem frustração (tenho casos bem próximos dessas desventuras, e não invejo nada). exercício nao é a minha praia, o único que pratiquei com gosto foi volley, que parei qdo terminei a faculdade. e agora yoga, que me dá a flexibilidade que gosto, sem ficar com os "bofes de fora" :) nunca vou ser magra, mas também não quero nunca ser obesa! objetivo de vida é manter-me assim, uma anafadinha controlada ;) boa sorte!

Catarina disse...

DÁ-LHE SÓNIA!!! Força com isso, vai conseguir! Estou consigo... e como as batatinhas fritas por si!

Ana Nascimento disse...

também sempre fui anafadinha, desde que nasci.. houve ali um ou dois anos que nem reconheço as minhas fotos, devia ter 4/5 anos, e estava normal! :) de resto, o peso sempre foi acima do normal, mas nada de obesidade. o máximo que já pesei (que saiba) foram 70 kgs qdo tinha praí uns 15 anos (tenho 1.64m), e jurei que nunca mais. não sou amante ou viciada em comida, mas casei com um homem que é, o que não ajuda!!! detesto álcool (que sorte!), e consigo bem controlar as porções. a minha dor de cabeça sempre foi o tipo de coisa que gosto de comer. não é chocolates, nem bolos nem doces.. é pão, massas e arroz. uma eventual cerelac, pratos como rancho ou feijoada, e um gosto muito diminuto por verduras.. na minha cabeça, se nao comer hidratos de carbono à refeição vou ficar esganada! :) ah, e as vontades de comer são sempre à noite, no sofá, no relax.. tenho mudado a minha alimentação devagarinho, tentando adaptar o meu perfil àquilo que sei que não me faz bem , e em adulta o mínimo que já pesei foi 59 kg, quando andava com problemas de estômago e comia só para sobreviver (tudo sem gordura, sem açucar, sem sabor, um tédio!!). o meu corpo gosta muito dos 65kg, é onde ele se sente confortável, saciado e contente :) e eu já me habituei ao pneuzinho, e acho que sou mais feliz assim do que a fazer mil dietas e tentativas que depois só trazem frustração (tenho casos bem próximos dessas desventuras, e não invejo nada). exercício nao é a minha praia, o único que pratiquei com gosto foi volley, que parei qdo terminei a faculdade. e agora yoga, que me dá a flexibilidade que gosto, sem ficar com os "bofes de fora" :) nunca vou ser magra, mas também não quero nunca ser obesa! objetivo de vida é manter-me assim, uma anafadinha controlada ;) boa sorte!

Cláudia Costa disse...

Identifico-me em tudo!! :)... Boa sorte e determinação!

Inca disse...

pois é eu também gosto tanto de vinho,e uma cerveja no verão com um petisco ai que bom! e depois lá está lá aparece a barriga e o pneu etc...mas quando não me apetece essas coisas é porque algo vai mal com a minha cabeça, por isso olha é uma no cravo e outra na ferradura, uns dias abuso e outras lá me seguro ;O).bjs

av disse...

Bem, eu sou do grupo das gordas...
Em novembro, estava no grupo das gordas II (que é como quem diz, obsesidade II), agora estou no grupo das gordas I, a caminho do anafado (vulgo excesso de peso), espero eu. Já perdi praticamente 10 kg e perdi 11 cm de perímetro abdominal. Sou acompanhada por uma nutricionista e ando a mexer-me mais (infelizmente, n posso contratar o Pedro, mas corro, faço caminhadas, aquafitness 3 x por semana e penso entrar para o Zumba em fevereiro). Nunca tinha feito dietas, até porque sempre fui "a gorda" e sei que nunca vou ser magra. Desta vez, também não digo que estou em dieta, até porque sei que terei de manter muitas destas coisas para o resto da vida. É mais uma reeducação alimentar e um aprender algumas regras de ouro. Em outubro tive um clique (não por boas razões) e muito graças ao incentivo do meu companheiro, resolvi "mudar". Os níveis de glucose, triglicéridos e colesterol desceram drasticamente (não estavam acima dos limites, mas andavam lá perto...) Sinto-me bem e é bom voltar a vestir roupa em que já não cabia (em alguma ainda não caibo, mais hei de chegar lá). Sim, o facto de ver que a Catarina perdeu 15 kg e uma quantidade brutal de massa gorda também me inspirou, verdade verdadinha:D Força aí, Sónia. Quando eu estiver na classe dos "anafados", estarás tu na classe dos normais e será uma vitória para ambas!

T disse...

Força nisso! :)

Pedagogia do Terror disse...

Querida Sónia,
Sorri o tempo todo ao ler isto. "Um anafado é uma pessoa com altos e baixos na sua anafadice. Mais ou menos como um toxicodependente." Sinto tanto isso. Força aí!!!
Beijos

Juanna disse...

Sugiro pensar em acupuntura para controlo da ansiedade, o que achas?

Joana disse...

Eu também sou cheiinha... Mas na vida fazemos escolhas e entre ser cheiinha e comer o que me apetece e ser magra e passar a vida em dietas ginásios e essas coisas, faço aquilo que me faz mais feliz, sou cheiinha e como o que me apetece! E pode vir alguém dizer que sou falsa, que me engano a mim própria, que quando olho ao espelho não sou feliz bla bla bla (sim porque oiço isto muitas vezes)...Que não adianta, eu é que sei, eu sei aquilo que me faz mais feliz, e sou de facto mais feliz a comer e a vestir um L e um 40 ou 42, do que a fazer dietas e exercício louco e a vestir um S e um 34 ou 36.
Devemos escolher aquilo que nos faz mais feliz e se para a Sónia é isso que a faz mais feliz, força!!!

Ju Figueiredo Silva disse...

Li TUDINHO, mas também é fácil ler aquilo que tu escreves ;)

Concordei e revi-me muito naquilo que disseste..tendo em conta aquilo que eu como posso dizer que até sou abençoada pela genética, apesar de achar que menos 4/5 quilinhos me deixariam bem mais jeitosa, se eu engordasse tudo o que como já estava aí nos 100. No entanto, acho que não é só pelo peso que devemos deixar de comer certos alimentos, mas sim pq nos fazem mal e é ai que tento mudar algumas coisas.. mas tal como tu disseste, nunca vou preferir o abacate e a abóbora ao arroz e batatas fritas, nem o iogurte grego ao crepe de chocolate, mas pronto...tentar mudar algumas coisas já é muito positivo e começarmo-nos a mexer também :D ** GO GIRL!

Sofia disse...

Revi-me a100% no seu texto, Sónia! Eu também estou nesta luta! Bjnhos

Rita Cardoso disse...

Ui... Junto-me ao clube... qd a nossa mãe que é a nossa mãezinha e vês sempre aquilo que há de bom em nós, nos diz... oh filha, realmente estás com umas pernas mesmo mto grandes... se calhar, está na altura de pensar no que andamos a fazer não é?

Pois eu agora tb estou determinada. Não tenho nenhum Pedro como PT infelizmente, bem pelo contrário... tenho um marido que olha pra mim tal como o teu qd me ponho com as dietas e que come o que quer ao meu lado e compra coisas que tenho de fazer um esforço mental inacreditavel para nao me alambazar como por exemplo um belo chocolate gigante da regina com sabor a ananás e outro com sabor a morango... jesussss... o que adoro aquilo e o esforço que fiz para nao prevaricar... e outros dois seres de 6 anos que comem bolachas como se não houvesse amanhã, tipo monstros das bolachas ali, ao meu lado...

É um sacrificio que n tem explicação...

Vale-me os meus almoços em que trago saladinhas para comer e os pequenos almoços que como uns cereais e leitinho só. E faço ginastica no vivafit a hora de almoço com mto esforço e porque sou praticamente obrigada por uma colega que anda lá cmg... entao somos as duas a chegar as 13 horas, ligamos uma a outra... vamos? nao tenho vontade. anda lá... e pronto eu ou ela felzimente puxamos uma pela outra e dps de lá estarmos damos valentemente... felizmente a instrutora é bestial. Mas isto é umas 2 vezes por semana... nao chega... mas nao dá mais... e corrida sinceramente não é para mim... já tentei gostar... já me esforcei por gostar mas de facto ou se gosta ou nao se gosta... fazer por gostar nunca vai correr bem...

Boa sorte a todas nós que sofremos do mesmo mal.

Rita

O Sexo e a Idade disse...

Ai Sónia!
A mim nem é pelo peso era mesmo para me obrigar a fazer exercicio (porque já me inscrevi em todos os ginásios e experimentei as aulas todas mas aquilo de estar ali fechada não é para mim)
Eu já tive um Pt tal como tu que vinha a minha casa, que tinha uma pachorra de santo, que trazia as traquitanas todas e tudo e tudo e tudo, mas…às terças e quintas - os dias em que eu supostamente teria aulas - eu só pensava "Oh Deus! Que desculpa hei-de arranjar hoje para ele não vir? Dói-me um dente? Tenho uma reunião até tarde (ou muito cedo; ou à hora que ele sugerir para mudar o treino), digo que o gato está deprimido, que houve uma revolução em Lálálá Land? Tudo! Eu usava todo o tipo de desculpas e o desgraçado, que não sei se já disse tinha uma pachorra de santo, aturava-me TUDO! Aquilo ainda durou uns meses, eu a tentar fugir com o rabo à seringa e o tipo com um sorriso do tamanho do Mundo e uma pachorra (não nei se já falei da pachorra dele) de Santo, sempre a ajudar-me a fazer o que eu não queria mas bem me fazia à saúdinha…Acabámos por combinar que eu faria sempre o treino ao fim do dia e depois ele ficava para jantar connosco. Ele engordou, eu mantive o peso, nunca mais fiz a ponta de um caracol e ganhei uma amizade ginasticada e saudavel :)
Espero sinceramente que tenhas bastante mais força de vontade do que eu e te mantenhas no programa (eu se isto um dia dá para o torto, viro looooooooooontra! :)))

Aline Brito Paiva disse...

eh, eh, eh!
tantas que ficaram até ao fim e que se identificam tanto com este post.
Acredite, somos muitaaaassss neste barco :)
força e boa sorte!
aconselho a dieta do Vaillant, é fácil de fazer e com resultados muito simpáticos.
Sempre com exercicio a acompanhar, claro.
Um beijinho

Bicharocos Carpinteiros disse...

Olá Sónia,
Obrigada pelo post.
Hoje em dia, quase todos os blogs que leio falam de corridas e dietas de forma tão apaixonada que me assustam e me fazem sentir "um bicho estranho" por não amar corridas e comidas esquisitas.
Aqui senti-me em casa.
Um beijinho e boa continuação!

ChocolatePiriPiri disse...

Eu também sou assim, revi-me por completo no teu texto, também eu já fiz quase todas as dietas, quando era mais miuda e me sentia mal por todas as minhas amigas serem magrinhas e poderem comer tudo sem preocupações também cometi algumas parvoices, das quais hoje me arrependo e sei que eram absolutamente destrutivas... Também sigo a Catarina e me sinto inspirada e muito motivada pelo "Admiravel mundo novo" dela. Por variadas vezes olhei para o espelho e decidi que "agora é que vai ser!!" e já sabemos o resultado que isso teve.. desta ultima vez decidi partilhar isso com o mundo e criar um blog para relatar a experiencia, achei que assim me iria sentir mais presionada.. a verdade é que estou a ser acompanhada por uma nutricionista, ando no ginásio, faço zumba e gosto de correr, e por enquanto as coisas até estão a correr bastante bem :)

Força Sónia! Tudo se conquista com determinação e esforço, e nós sabemos que não é facil, e que pelo caminho nos perdemos por vezes, mas temos de manter o foco e determinação ;)

Carla disse...

Força Sónia!!!

linhapontolinha disse...

É IMPOSSÍVEL deixar de a ler a meio... começando já só se consegue parar quando o texto acaba!!!
Consegue ser viciante!!!
Força Sónia!

Patrícia Pinto disse...

Então mas alguma coisa do que escreves custa a ler?!!
Ainda mais um tema comum a taaaaaaaaantas de nós por essa blogosfera fora!!
Ah como é bom não estar só..... :)

antonio disse...

Também experimentei várias e só uma resultou (ou está a resultar). Já lá vão 10kgs. E está tudo bem descrito neste livro: http://www.wook.pt/ficha/4-horas-por-semana-o-corpo/a/id/10918199
As boas notícias: pode comer a feijoada e a picanha com feijão acompanhada de um bom copo de vinho, além de um dia por semana se poder entregar a um bacanal de doces ;-)

Li disse...

You go girl!!!
Força!!

antonio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
S disse...

Ai Sónia, eu sinto tanto isso do toxicodependente! :( Ando sempre para aqui a perder e a ganhar, a perder e a ganhar...Em 2013 perdi 10 quilos, nada mau, mas no Natal e afins ganhei 3 e não há maneira de conseguir voltar a perdê-los e perder ainda mais, que preciso - tenho que perder no mínimo 15. Mas até deviam ser 20. O problema é que o "vício" está em todo o lado e facilmente acessível...e a força de vontade não dura sempre! Sobretudo em pessoas como nós - já vi que és das minhas - que adoram comer, o que se há-de fazer? É um dos grandes prazeres da vida. Mas bolas, tenho mesmo que me pôr a pau, pela estética e pela saúde (não tenho problemas de saúde ainda, mas tenho noção de como o peso a mais é nocivo)...outro dia li um truque que tenho tentado aplicar e parece ajudar qualquer coisa: quando me apetece comer algo proibido ou em grande quantidade (ataque de gula) bebo água ou chá e deixo passar meia hora. Normalmente por essa altura, o racional "não posso" já voltou a sobrepôr-se à gula e lá se vai aguentando...até à próxima tentação! Força nisso! Mas não deixes de comer hidratos de carbono, isso é um disparate e impossível de manter. Se conseguires não comer à noite óptimo...mas pelo menos ao pequeno-almoço e almoço (e lanche) são indispensáveis :) #dicadeprofissional

à conversa disse...

Então e a Lev resultou consigo??

Estou a fazer e acho que é boa, mas muito cara!! E apenas algumas das comidas são boas e não todas (como nos dizem...)

A Costureirinha disse...

Olá Sónia. Revejo-me completamente. Obrigada por transformar em palavras sentimentos alheios. Posso perguntar como correu com a dieta Lev? Muito obrigada e força.

Opinante disse...

Li e adorei! E já fui conhecer a Catarina, claro!

As goji e a chia também já coabitam lá por casa! E agora tive a infeliz ideia de propor ao marido correr 100km em Fevereiro - vai ser "bonito" vai...

FORÇA SÓNIA! NÓS ACREDITAMOS EM TI :)

Liliana Fernandes disse...

Sónia, tenho a solução para a tua oscilação de peso. Beijinhos

Teresa Batista disse...

OMG... tantas coisas comuns! Desde as mais variadas dietas; ao Póvoas; aos 31 Dias; à LEV e ao facto de nunca ter sido 'gorda'...

Ao facto de já ter corrido; sózinha; acompanhada e tantas mais coisas em comum!

Não consigo pagar um PT, mas no ginásio onde ando tenho a sorte de ter dois monitores que sempre que podem (e é quase sempre) me dão treinos acompanhados; me fazem os testes de avaliação física; me medem as pregas e me sujeitam a essa humilhação... O peso esse, teima em descer à velocidade de um caracol, mas também perdi 5% de massa gorda em quase 2 meses... (faço 3 treinos por semana + yoga ao domingo)e estou neste momento com 27%!
A somar a isto deixei de fumar e pronto, não enlouquecemos mas acordamos a meio da noite a ranger os dentes e tesa como um carapau!
A Sónia vai conseguir e nós também que enfrentamos a mesma luta!

Beijo grande

Molly disse...

Sónia, graças a ti perdi cerca de 14 kilos. Encontrei no teu blog inspiração para fechar a boca, começar a mexer o rabo e abater kilos e kilos, acumulados de tratamentos hormonais, gravidezes e muita gula! Sou como tu, gosto tanto, mas tanto de comer, de cozinhar, de festas, de jantares e não há semana que não haja rambóia! Ainda por cima viajo metade do meu tempo pelo mundo todo e adoro experimentar as comidas de outros países, sou convidada a maior parte das vezes e parece mal não comer! Mas o que faço para manter a linha é estabelecer um limite máximo. Se a balança subir até ao limite encarnado, fecho logo a boca!! Também estive inscrita em inúmeros ginásios, mas encontrei finalmente O ginásio, o deverei dizer A professora! Desde há 2 anos para cá, faço Zumba e Body toning TODOS os dias, excepto fds, desde que esteja por cá, e ADORO!, divirto-me como uma louca!! Não faço nenhum sacríficio para me arrastar ao ginásio, fico é furiosa quando não posso ir e como trabalho em casa, tenho flexibilidade de ir quando me dá na telha! O que me estraga o plano de treino são as viagens, mas levo equipamento e tento fazer alguma coisa quando estou fora! Acho que o truque no exercício é encontrar uma actividade que godtamos mesmo.
Sim, requer uma imensa disciplina, mas vale bem a pena ter passado de 42 para um 36 e agradeço-te por me teres inspirado!! Beijos, Mena

Regina Rebelo disse...

Delicioso este post. Longo, mas muito bem escrito e divertido. Adorei lê-lo até ao fim :)

Sara disse...

O post é longo, mas em parte alguma sentimos vontade de desistir. Este texto está mesmo bom! Tem frases que nos fazem rir, sorrir, trazem boa disposição. És a maior ;)
Que bom que é poder ler um blog assim!
Ah e a minha frase favorita foi
"eu aprecio comer e repetir e ainda ficar de olho no que sobrou (grande besta)" - adivinha porquê?

Marta Marques disse...

Gostei tanto, Sónia!
Acho que andamos todas mais ou menos na mesma ;)
No meu caso, acresce uma coluna torta que não ajuda nas corridas :p
E eu que andava tão lançada...
Excelente post. Muito divertido!

Infinitiva disse...

E se a Sónia - e todas as outras mulheres "anafadinhas" - aprendessem a gostar de si como são? Acha que essa "propensão para um pneuzinho" lhe faz mal à saúde? Mais mal do que muitas dietas malucas em que muito boa gente se mete?

Merda de sociedade esta, que pressiona as mulheres (e os homens também!)a passarem a vida a tentar ser o que não são nem têm de ser.

http://media-cache-ec0.pinimg.com/736x/fa/5c/ea/fa5cea1547117b9900db24e6cad7f0ea.jpg

Façam o favor de serem felizes!

Beatriz Sotomayor disse...

"Vamos com calma. Um anafado é uma pessoa com altos e baixos na sua anafadice. Mais ou menos como um toxicodependente. Que deixa o vício, que recai, que volta a tentar. Há quem deixe uma vez para sempre. Há quem demore mais a livrar-se do mal."

Adorei esta frase! Isto sou eu!

Raquel disse...

Fui mãe há... N me lembro...ela nasceu dia 6.. Façam as contas..e a balança parou de descer logo na segunda smana. Eu já vi o filme na primeira gravidez.estagna e depois sobe...MEDO...
Tb quero um PT ;)

Que corra td bem...

Raquel
http://margaridaflordaminhavida.blogspot.pt/

Filipinha disse...

Sónia,

Sou amiga da Catarina e também ela tem sido uma inspiração. Já perdi mais de 4 kilos só com alimentação saudável e exercício em casa mas sem PT.

De repente leio este texto e só pensava... De certeza que não fui eu que escrevi isto???

É que até nas bebidas marcha tudo tudo menos whisky.

Belo texto!!

Abraço de uma anafada companheira de luta!!

Lita disse...

Olá Sónia.
Sou mais uma que pertence ao grupo das anafadas! Que adora comer (adora mesmo e também adora cozinhar e ir para a cozinha por a criatividade a trabalhar, o que não ajuda nada!), adora doces, adora salgados, adora novas experiências gastronómicas... E depois de adorar tanto, a comida não gosta nada de mexer o rabo! Nem é bem não gostar porque noutras alturas, resolvi fazer caminhadas e inscrevi-me no ginásio e fiz Yoga e reconheço que me sentia muito bem! Mas, para quem sai de casa às 8h e chega a casa às 20h, com uma criança pequena para cuidar e tudo em casa para fazer, por minha conta, ao fim da noite só estou livre de afazeres lá para as 23h, para além de acabar o dia exausta! Tenho uma bicicleta eliptica no quarto e todos os dias olho para ela de soslaio e penso que se não estivesse tão cansada...
A comer o que não devo, com uma vidinha completamente sedentária e com o stress horrível que vivo todos os dias, estou sempre a dizer que não chego aos 40 sem enfartar!!
Desejo-te muita força de vontade e coragem para te transformares numa miss!

Lita

bia miranda disse...

afinal nao sou a unica. Estava com o mesmo dilema, quer mudar sem fazer nada.

mas ontem numa das minhas idas a um site de uma revista, decidi dar o meu primeiro passo, depois de ler a historia de Carla.

Foi motivadora o suficiente para que eu aproveitasse a hora de almoco e me inscrevesse e fui comprar logo a revista. LI e revi-me em tudo o que ela disse :)

deixo ao site para terem tb inspiracao

todas juntas vamos conseguir :))))

http://www.luxwoman.pt/destaque/eu-nao-gosto-de-treinar/

akombi disse...

Sou o oposto, mantenho o meu peso desde os meus 16 anos sem preocupações, mas começo a preocupar-me com o que como, o meu pecado são os chocolates e doces, e o historial da família de colesterol, diabetes ( aliado a cegueira) e hipertensão, aos 39 anos tenho que pensar seriamente em mudar hábitos alimentares.

Tenho curiosidade por este tema, adorei o post, adoro acompanhar a Catarina e ^ver o quanto lhe está a fazer bem este novo peso, bom espero que não perca mais, para mim peco que tb estão-me sempre a lembrar o quanto sou magra de cara, ser magra tb é lixado.