quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

Quem quer comprar?

Uma pessoa querida, daquelas que gosta de ajudar toda a gente, mesmo quando mal tem para si própria, tem agora um negócio de venda de coisas para porem as mulheres mais bonitas.
Como não divulgar, ajudando alguém que está sempre pronto a ajudar os outros? Impossível não é? Aqui fica, então, a página dela. Façam as vossas encomendas, minhas meninas.

10 comentários:

Cruela deVil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cruela deVil disse...

é muito mais que vendas, mas os produtos são mais do que excelentes :D

Ana S. disse...

SAbe sempre bem ajudar ;)

www.prontaevestida.com

Maria disse...

É capaz de ser melhor pesquisarem no google antes de se envolverem.

Filipa disse...

Portanto, a nova estratégia de marketing é suscitar a culpa naqueles que não compram os produtos de uma mulher tão generosa, mas tão generosa, que nem precisamos de querer saber da qualidade do que vende.

Charroque da Prrofundurra disse...

é capaz de de ser melhor as pessoas confiarem em quem confiam...

SMS disse...

Filipa: Marketing? Culpa? A sério?
Eu conheço a Lina, não somos amigas mas do que conheço dela já deu para perceber que é boa gente. Está a precisar de um empurrão. E eu dei o empurrão que pude. Porventura ela está a vender droga ou armas? Então é o seguinte: quem puder e até tiver vontade de lhe comprar alguma coisa… óptimo! Quem não puder ou não quiser… amigos na mesma.
Que diabo… culpa? Marketing? A sério?

Nádia Botto disse...

Eu tenho o mesmo negócio que a Lina. Chama-se network marketing, marketing multinível, multilevel marketing, marketing de rede e até mesmo marketing de relações.

Visto que eu estou presente no mesmo negócio, além de não fazer parte da equipa da Lina, acho que todos os empurrões são bem-vindos.
Eu desenvolvo este projecto há 1 ano e adoro.

Mas como se diz nesta indústria: "o marketing multinível é para todos, mas nem todos são para o marketing multinível". Porquê? porque andámos toda a vida académica a ouvir pais e professores a dizerem que temos de estudar muito e termos boas notas para termos um bom trabalho para o resto da vida.
só há quem que não queira isso, há quem precise de mais, há quem queira mais e não vender o tempo a um patrão. e aí muda toda a programação mental.

Se a "cócó na fralda" quer ajudar uma pessoa a começar este negócio apostando num post super simples no blog dela, eu aplaudo.
No fundo no fundo, todos nós tomamos banho e pomos perfume e limpamos a casa e bebemos café.... logo Filipa, realmente só compra quem quer ;)

Nádia Botto disse...

Não gosto quando falam mal da industria que me deu vida outra vez.
tinha escrito um post gigante. mas como não tinha a sessão iniciada não gravou.

por isso só vou dizer isto: se todos tomam banho, usam perfume, make up, limpam a casa e bebem café (80% da população portuguesa) podem comprar os produtos da fm group. são de uso diário. Para mais informações, é uma questão de perguntar à Lina, visto que não sou da equipa dela e não estou aqui para encontrar ninguém para a minha equipa.

Afinal de contas, esta indústria... não é para todos. Só para quem tem visão.

É de louvar que se ajude quem começa este negócio.

Lina Ribeiro disse...

Filipa, não vi em lado nenhum a Sónia dizer "Comprem mesmo achando duvidoso ou mesmo que achem que os produtos são uma grande caca". Não, o que eu depreendi é que a Sónia seria capaz de confiar num produto que eu lhe recomendasse, porque sabe que eu seria capaz de a enganar. Mas isso é ela... que disse que confiava em mim. Sabe Filipa, naquilo que depender de mim, as milhas filhas terão sempre motivo de se orgulhar dos pais. Certamente não serei mais do que uma mãe normal que tudo faz para que nada falte às suas crias, mas posso expor aqui um bocadinho a minha vida, para que perceba o motivo deste empurrão. Sou assistente social na segurança social, o meu marido está desempregado mas não pára. Ou seja, não é remunerado, mas trabalha que se farta. Faça as contas, é simples: Tenho um ordenado bruto de 1477 euros (uma riqueza, portanto), descontando tudo aquilo que o estado lhe apetece descontar trago para casa 960 euros já com subsidio de alimentação. Pago 480 de casa (sim, porque eu tal como todos os portugueses, comprei uma casa à minha medida na altura em que o rendimento familiar era de 5000 € mensais). Ponha-lhe as despesas fixas de água, luz e gás!! Não fica muito pois não?? Tenho duas filhas pequenas, o meu marido teve um AVC em Novembro, eu parti o pé e estou de baixa em casa, logo o meu vencimento vai ser pago a 50%. Faço parte dos novos pobres, que por acaso até sei quais são os meus direitos, por trabalhar numa instituição que me permite estar informada. Recorri aos serviços sociais da minha instituição, recebi um indeferimento porque a minha capitação não se enquadrava nos cálculos. Como já disse, estou em casa, mas continuo a trabalhar para a segurança social via acesso remoto, porque tenho consciência que o trabalho não pode parar e aqueles que estão em situações ainda mais precárias que a minha não podem deixar de comer, porque o respirar só não resolve. Por isso, Filipa, se pedi AJUDA à Sónia e ela me conhece o suficiente para se chegar à frente e dar-me um empurrão, eu agradeço e muito. Porque um empurrão não é fazer-me pela vida, um empurrão é dar-me os meios para conseguir fazer pela vida. E digo-lhe que naquilo que depender de mim e do meu marido, daquilo que for fruto do nosso trabalho, nunca há-de faltar nada às minhas filhas e aos meus. Eu também já dei empurrões, uns souberam aproveitar, os outros acharam que o trabalho estava feito... sabe, Filipa, as boas acções são como as procissões... regressam sempre ao lugar de onde começaram!!

Um bom dia para si!!

Lina

P.S. - o site está disponivel, a marca é conhecida e reconhecida, quem quiser compra, quem não quiser não tem sequer que ver. quem quiser juntar-se à equipa com a garantia de parceria com uma excelente empresa, está à vontade. Mas não esperem dinheiros fáceis, daqueles que se diz ganharem 1000 € por semana, rapidamente. Mas esperem bom dinheiro, porque no marketing multinivel, o rendimento é justo para quem trabalha