sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014

Carnaval (ainda)

Há uma imagem que não me sai da cabeça. Ontem, quando fui levar o disfarce de indiana à Madalena, estava um menino vestido de fato-de-treino com as mãos coladas ao vidro, enquanto atrás dele havia um verdadeiro arraial de mascarados. Ele tinha uma expressão entre o apavorado, o triste, e o perdido. Eu passei, aparentemente sem dar muita importância à coisa, mas aquele olhar perseguiu-me o resto do dia (e até hoje).
Não sei a sua história. A Mada contou que havia um menino da sala dela, por exemplo, que não foi mascarado porque tem medo de se mascarar (não deixa de ser interessante, o medo do não reconhecimento do eu). Também sei que há pais que odeiam mais o Carnaval do que eu e que decididamente optam por não mascarar os filhos - mas isso faz-me alguma confusão, tenho de confessar. Como se sentirá um miúdo vestido "à civil" quando todos os outros encarnam personagens? Como se sentirá vendo os amigos com fatos tão giros (que os há), podendo fazer de conta que são cavaleiros, dragões, princesas, heróis, e eles ali tão cingidos à sua normalidade?
Hoje foi a vez do Martim se transvestir. Disto, que é uma mistura de Punk, dread, rebelde, coiso. Sim, é todos os anos a mesma coisa, porque o Martim é aquele que não gosta de mudanças.


18 comentários :

gralha disse...

Não sei desse menino mas eu sempre odiei mascarar-me e só mascaro os meus se/enquanto eles quiserem.

Alexandra de Amorim disse...

Eu odeio o Carnaval (não sei se a palavra certa é 'odiar', mas, pelo menos, 'não sinto afinidade com'. Ainda assim, sempre mascarei os meus filhos, porque, lá está, faz parte...

Giríssimo o Martim! ;)))

The gLiTtEr Side

Isabel Patrício disse...

Mas se não gostam, se não lhe diz nada, não é melhor irem à civil do que "seguir a manada?.." admiro é esses pais e crianças que conseguem ir contra a corrente e não se deixarem ir.
Só é pena é se houve um esquecimento, um mal entendido e esse menino não foi mascarado por isso....e gostava de ir... olha ! foi mascarado de civil ! É Carnaval ninguém leva a mal..

Quando me encontrares disse...

O meu nunca gostou de se mascarar e, por isso, obviamente, nunca o obriguei. E nunca ficou triste por ver os amigos dele mascarados...
Este ano, pela primeira vez, quis mascarar-se de cowboy e foi muito feliz para a escola. Mas ele próprio me explicou porquê: "porque gosto de brincar aos cowboys".
Mas foi com roupa de casa adaptada, um chapéu emprestado e umas pistolas compradas ontem à pressa, porque cá em casa nunca houve armas.
O que importa é que as crianças estejam felizes, como são. Quem gosta de se mascarar, que se mascare. Quem não gosta, que não se mascare.

Leana disse...

O meu filho do meio nunca gostou de se mascarar, lembro-me de uma manhã o estar a mascarar para ir para o colégio e ele ter desatado a chorar. Tirei-lhe a fatiota de imediato e nunca mais o pressionei para se mascarar. Ainda hoje viu os irmãos saírem mascarados e ele todo feliz, na dele, vestido à civil. Sem dramas :)

Cristina Branco disse...

Olá Sónia,
Não sei se já reparaste (mas as fotos assim o comprovam) a Margarida desde a sala dos 5 anos (da JR) que não se mascara.
E a minha ‘nervoseira’ era exatamente o contrário, apesar de eu não gostar do Carnaval, faz-me confusão a margarida ser tão decidida neste assunto. Até porque ela é muito low profile e não gosta de ser diferente … ora não querendo mascarar-se está-se mesmo a ver quem dá nas vista nesse dia.
No início estava sempre a alertá-la :
-olha que vão todos menos tu …. Não vais ficar triste?
- Não (e já chega dessa conversa)
- ok miúda!
Hoje e para não fugir à regra não vai mascarada…. mas escolheu a sua melhor indumentária… foi toda ‘arriada’ para a escola e disse:
- mãe hoje vou vestida de aniversariante.
Ela hoje faz anos  portanto o teu Martim vai comer bolo ao lanche... um carnaval em grande.
Beijinhos

Cristina B

Cristina Branco disse...

Olá Sónia,
Não sei se já reparaste(mas as fotos assim o comprovam) a Margarida desde a sala dos 5 anos (da JR) que não se mascara.
E a minha ‘nervoseira’ era exatamente o contrário, apesar de eu não gostar do Carnaval, fazia-me confusão a margarida ser tão decidida neste assunto. Até porque ela é muito low profile e não gosta de ser diferente … ora não querendo mascara-se está-se mesmo a ver quem dá nas vista nesse dia.
No inicio estava sempre a alertá-la :
-olha que vão todos menos tu …. Não vais ficar triste?
- Não (e já chega dessa conversa)
- ok miúda!
Hoje e para não fugir à regra não vai mascarada…. mas escolheu a sua melhor indumentária… foi toda ‘arriada’ para a escola e disse:
- mãe hoje vou vestida de aniversariante.
Ela hoje faz anos  portanto o teu Martim vai comer bolo ao lanche... carnaval em grande.
Beijinhos

Cristina B

Cristina Branco disse...

Olá Sónia,
Não sei se já reparaste (mas as fotos assim o comprovam) a Margarida desde a sala dos 5 anos (da JR) que não se mascara.
E a minha ‘nervoseira’ era exatamente o contrário, apesar de eu não gostar do Carnaval, fazia-me confusão a margarida ser tão decidida neste assunto. Até porque ela é muito low profile e não gosta de ser diferente … ora não querendo mascara-se está-se mesmo a ver quem dá nas vista nesse dia.
No inicio estava sempre a alertá-la :
-olha que vão todos menos tu …. Não vais ficar triste?
- Não (e já chega dessa conversa)
- ok miúda!
Hoje e para não fugir à regra não vai mascarada…. mas escolheu a sua melhor indumentária… foi toda ‘arriada’ para a escola e disse:
- mãe hoje vou vestida de aniversariante.
Ela hoje faz anos  portanto o teu Martim vai comer bolo ao lanche... Carnaval em grande.
Beijinhos

Cristina B

joaninha disse...

Estava eu no 4º ano e a minha avó faleceu poucos dias antes do carnaval, por consequência o meu pai não me deixou mascarar mas a minha mãe obrigou me ir à mesma para a escola, senti-me tão mal os outros mascarados e eu não (ainda me lembro o que levava vestido) acho que fique traumatizada. Agora aos 26 anos não gosto de carnaval, mas não deixava de mascarar os meus filhos por eles não gostarem. Aliás a minha mãe adora carnaval o que pode acontecer é ela os mascarar. Mas acho que o miudo deve ter ficado traumatizado.

Blue Eyes disse...

Nem de propósito... acabo de deixar o meu filho no desfile de carnaval da escola! Desde o ano passado que não consigo que vá mascarado (se bem que nunca o foi verdadeiramente!), digo-lhe que talvez se sinta mal por ser o único mas diz-me que mascarado ia sentir-se pior! Cada criança tem a sua forma de estar... só tenho pena se esse menino que disse ter visto não estivesse 'assim' por vontade própria mas por outras circunstâncias!

Mary disse...

Eu sou Educadora de Infância e todos os anos tenho pelo menos um menino para mascarar. Sim, que eu não deixo a criança simplesmente ficar vestida à civil com o ar mais triste do mundo a olhar para os outros. Eu tenho um "baú" de fatos de Carnaval, e acessórios, para esses casos. Já tive meninos que não tinham disfarce porque não queriam, mas muito poucos. A maioria é porque os pais não tiveram dinheiro para comprar ou porque os pais não gostam do Carnaval e decidem não mascarar os miúdos, o que acho, esta última justificação, um tremendo egoísmo e desrespeito pelos próprios filhos. Se eu não gosto de alguma coisa mas o meu filho gosta e é feliz com aquilo, cabe-me a mim enquanto mãe respeita-lo e não exigir que ele seja como eu e siga os meus gostos. É só uma festa, é só um dia, é só o Carnaval, são só crianças felizes! Qual o problema?

Guida apolinario disse...

Eheheheh, o meu de 10 não quis ir mascarado para a escola. Não insisti. Sempre foi e já o ano passado não achou piada. O pior é se houve algo fora do normal nessa situação do menino. Esquecimento,não ter lido o recado, ou mesmo falta de dinheiro para comprar algo. Pode acontecer.

Pea disse...

Como filha de uma mãe que não gostava de carnaval e que nunca me mascarou, digo-te, que grande merda...é horrível a sensação de se ser o único diferente...de não ter as mesmas asas que os outros meninos. E agora que tenho duas filhas, o Carnaval é levado bem a sério. Vão como querem e enquanto quiserem...mas a minha parte eu cumpro.

SMS disse...

Nada contra os mentions que não se querem mascarar, atenção! :) Se não querem, não querem! Uma vénia, desde já, porque querer ser diferente é brutalmente corajoso. :)
Cristina: pois é! A Margarida é uma das tais. :) Parabéns! Pelo aniversário e pela atitude da moça.

kombi disse...

E eu que na primária pedi uma mascara á minha mãe, ela que não tem paciência para estas coisas vestiu-me normal de sai e camisola colocpu-me um avental um lenço na cabeça e um espanador na mão e disse-me que estava mascarada de dona de casa, na hora odo desfile o professor, sim professor, mandou-me ficar sentada pois aquilo não era mascara, acabei sozinha sentada a ver aquelas mascaras maravilhosas, fatos que se alugavam e faziam a delicia das meninas.

Por agora tenho participado naquilo que as minhas filhas me pedem, elas que tb não ligam mas este ano tenho a mais velha com o baile de carnaval do 9ºano e lá vai de pinup :-)

RITA disse...

Quando a minha filha Teresa foi para o primeiro ano ,quando chegou o Carnaval quiz-se mascarar. E lá foi ela de Sevilhana...
Ainda eu não tinha chegado ao portão da escola, vem uma mãe a correr a dizer que ela estava inconsolável a chorar e a soluçar.
Levei-a para casa. Não gostou da atenção centrada nela. É uma miuda que podendo , em casa está sempre mascarada a dançar etc... Sendo a quarta achei que ía adorar mas não.
No segundo ano não quis ir à escola no terceiro foi de calças de ganga e este ano tambem ( a escola tem farda).Foi para a escola porque quis fui buscá la mais cedo estava na maior ,todos os outros mascarados e ela na maior.

Bjs
Rita

Scarlet Red disse...

Eu pago-te para conveceres o meu ailhado Tomás de 6 anos a mascarar-se!

antonio disse...

Bem, aconteceu-me exatamente o mesmo, e também me deixou a pensar naquilo o dia inteiro! Na sala do meu filho em que estavam todos mascarados e super contentes, estava a um canto um menino à "civil" tristíssimo. Ainda estive para ir a casa buscar o fato de super homem do ano passado, mas conclui que não lhe ia servir. Estou a pensar sugerir à escola que façam uma bolsa destes fatos, pedindo aos pais que levem as mascaras que não precisam para que isto não aconteça. À noite o meu filho disse-me que a professora pôs-lhe uma gravata.